07 dezembro 2008

Três séculos depois


Cyfa, o habitante de Procyon, se aproxima velozmente do planeta Terra. O painel exibe uma brilhante esfera azul. O explorador galáctico enxerga uma bola de fumaça negra. Diminui a velocidade e consulta os instrumentos de navegação. Tudo confere. As coordenadas estão corretas. É o terceiro planeta mais próximo da pequena estrela denominada Sol. Não há dúvida: a localização do astro está exata. A cor é que difere dos registros.
Seguindo as instruções para averiguação das sucessivas explosões, permanece a uma distância relativamente segura na órbita do satélite natural.
O viajante Cyfa Luc é enorme. Com dois quilômetros de comprimento, ele é gigante para os padrões humanos. A nave espacial é a própria roupa acrescida de um pequeno laboratório preso ao corpo.
Independentemente de a veste ser muito resistente, Cyfa está preocupado com a grande quantidade de lixo que passa zunindo e suja o espaço. Abre uma sacola e recolhe os detritos que encontra.
Não há tempo a perder. Ainda há outros astros a conferir. O cientista lança alguns raios cibernéticos em direção à esfera opaca e, na velocidade da luz, é informado de que a composição dos gases da superfície sofreu mudanças. O monóxido de carbono passou a ser predominante. O odorímetro acusa a presença forte de enxofre. Agora a metade da superfície do astro é de água salgada e outra metade, sólida, é de um composto plástico derivado do petróleo. A temperatura aumentou significativamente desde a última medição. Os instrumentos também indicam que não há mais estranhos seres viventes.
Recolhe mais um minúsculo objeto voador abandonado à própria sorte. É uma garrafa de vidro verde que contém, em seu interior, um papel manuscrito.
Cyfa retira a rolha, desenrola o papel amarelado e reconhece a letra do seu antigo colega que estivera na Terra, 300 anos antes.

Ouvi um sabiá enamorado.
Aspirei o perfume do jasmim.
Chupei uma jabuticaba doce.
Deixei a areia escorrer sobre a pele.
Enxerguei um arco-íris sobre a cachoeira.

O planeta é maravilhoso.

Conheci crianças.
Ingênuas, curiosas, meigas. Ávidas por amigos.

Conversei com adolescentes.
Convictos, ousados, egoístas. Ávidos por vitórias.

Sondei adultos.
Gananciosos, gulosos, mentirosos. Ávidos por poder.

Cuidado! Humanos são venenosos.

4 comentários:

Klotz disse...

No dia 12/12/08 recebi este e-mail de uma amiga a quem encontrei depois de uma dúzia de anos quando vendia fanzines com meus textos de barzinho em barzinho de mesa em mesa:

Roberto,

Hoje você fez com que eu perdesse o juízo e com ele, a hora...

IMAGINE QUE FIQUEI LENDO, SÓ MAIS UM POUQUINHO, ACABEI NÃO INDO BUSCAR AS NETAS PARA O COMPROMISSO PROMETIDO... TUDO POR CAUSA DO SEU BLOG.

Não entendo muito de computadores, internet, blogs, orkuts nem de paqueras e outros do nível. Por isso não soube comentar seu blog no lugar certo.

É isso aí, você era o escritor certo no lugar errado do engenheiro...

Que bom que acordou a tempo... adorei tudo já anotei seu endereço de blog que lerei habitualmente...

Também escrevo um, mas só quem lê, sou eu e minha prima...

Um beijão,
Manon

Obrigado, Manon. O elogio foi tão grande que até fiquei vermelho.

Klotz disse...

Comentários na comunidade orkutiana Bar do Escritor em 07/12/08

Alexandre Atlético de Babacam : "Cuidado! Humanos são venenosos."
Boa... muito boa.

Klotz disse...

Em 08/12/08
Angela Oiticica : Ótimo texto, diz tão tudo do que se passa...

Larissa Marques : Como digo, Klotz é o cara quando o assunto é prosa!
Adorei!

Muryel de Zoppa : hahahaha... li num fluxo.

Iriene Borges : Muito bom!

Leonardo - Spoke : hum... e depois?

Cristiano Deveras : Muito punk o texto. Somos tudo isso e mais um pouco, embora alguns de nós, seres humanos, ainda terem o péssimo hábito de tentarem ser pessoas boas...
ficanapaz

Don Ramon : Gol.

Robertón Hefler : Difudê com a prosopopéia de muito publicado! Aposta ganha!

Daniel Guerra : Achei parecido com um desenho animado que assisti esses dias: Wall.e. Isso de arte engajada é muuito legal.

Jarbas Siebiger : Klotz mesclou com sabedoria a ficção com a realidade.

Felipe Procópio : Gostei. Eu já li um texto muito parecido com esse, quando eu conseguir me lembrar qual eu posto aqui.

Ruy Villani : Tão doce quanto sábio.

Klotz disse...

Em 09/12/08
ükma : Gostei do conteúdo da carta

 
Search Engine Optimisation
Search Engine Optimisation