17 novembro 2007

Juro que não sou ímpio


Outro dia fiquei indignado ao me chamarem ímpio. Tenho fé, eu acredito e penso que cada um tem o direito de escolher no quê acreditar: trevo de quatro folhas, pé de coelho, figa, Papai Noel, estrela cadente, Nossa Senhora da Pá Virada, patuá, vudu espetado, quadrados mágicos ou o poder estimulante da casca de amendoim torrado.
Na minha cozinha tenho um santuário. É um cantinho no meio dos armários que forma um pequeno triângulo onde acomodo velas, folhas de arruda, três búzios e uma garrafa de Coca-Cola. É um exemplar adquirido em um antiquário. Disse-me o vendedor, conferindo legitimidade à minha imagem, que a aquele exemplar foi resgatado sob a poeira de um bar falido da Rota 66, em pleno deserto do Arizona.
Sempre termino meus dias com uma oração à minha santa, agradecendo o lado Coca-Cola da nossa vida.
Esse refrigerante faz parte da minha vida. Ainda pequeno eu consumia Coca-Cola família que rendia quatro copos ou mais. Anos depois, bebia de uma enorme garrafa com um litro. Que foi superada pelo litrão, com 1,2 litros. Que por sua vez foi substituída pela outra de um litro e meio. Nem me lembro quando substituíram o vidro pelo plástico. O que importa é que a garrafa pet, de dois litros domina o mercado embora eu prefira o vasilhame de dois litros e meio. Mas confesso que o meu sonho de consumo, é ter em casa, uma torneira com Coca-Cola gelada encanada.
Já recebi pela internet várias correntes anunciando o poder milagroso do liquido marrom. Dizem que ele faz desaparecer um osso, quando imerso por dois dias e que um dente-de-leite some em uma semana. Informam também que é um poderoso anti-séptico (ou será anticéptico) na limpeza dos motores de caminhões. Informam que o milagre mais comum acontece com os patrulheiros rodoviários americanos que têm à disposição dois galões do precioso liquido no porta-malas para apagar vestígios de sangue nas estradas após acidentes. É por essas e outras que eu acredito no poder da Coca-Cola.
A Coca-Cola é um santo remédio. Quando estamos solitários nos faz companhia e quando estamos em grupo transmite alegria.
Na minha cozinha tenho um local destinado aos vasilhames do refrigerante. Infelizmente só disponho de espaço para três dúzias de pets. A base do armário é sensível ao peso. Eu explico: quando o peso for menor que seis quilos, equivalente a três pets, uma luz vermelha se acende. E quando o peso é menor que quatro quilos, além da luz vermelha, um alarme sonoro agudo dispara indicando alerta máximo. É necessário repor o estoque imediatamente por ameaça de colapso.
Contei toda esta história para que não haja dúvidas de minha religiosidade e fé.
Ontem aconteceu uma tragédia. Eu ia receber visitas logo mais à noite e a cozinha estava brilhando limpeza. Só faltava alimentar a geladeira e os armários com as compras do supermercado empilhadas pelo chão da cozinha. Num ritual de prêmio, sempre abro um refri ao chegar em casa após a realização da cansativa tarefa das compras. Foi o início da tragédia. A Coca recém adquirida explodiu como vulcão quente molhando a minha cara, a camisa, a calça, o armário e todas as compras. Nem nos desenhos animados existe tsunami tão catastrófica.
Sempre fui temente aos deuses e agora recebi a prova definitiva: a deusa Coca-Cola é vingativa. Provoquei a ira da deusa tomando um gole de Pepsi no supermercado.
Na lava marrom escorrida no armário branco ficou a mensagem: “Não terás outros deuses além de mim.”
Apavorado, ajoelhei-me e jurei não ser ímpio: Coca-Cola, isso é que é.

13 comentários:

Aglaia disse...

"Seu" ímpio!!!

Sua vingativa deusa não chega aos pés de meu deus vinho.

Mas a crônica está excelente!

Aglaia

Efe Celeti disse...

ahahahahahah

muito bom!!!!

muito bom!!!!

Eneida disse...

Caro amigo Klotz,

Seu texto é leve, bem humorado, gostoso de ler. Temente da deusa Coca-Cola, acabo de me certificar de que o delicioso líquido marrom e geladinho que agora estou sorvendo lentamente é realmente uma Coca-Cola!
Abs.
Eneida Coaracy

Andre disse...

òtimo!
e a sua cara!!

dei umas voltas pelo blog
e me diverti um bocado

cada vez melhor
mais personalidade
e profundidade

gostei da nova grafica tbem

até logo mais!
gde abraço

andré

maray disse...

Olhe, pra acrescentar mais uma utilidade (ou divindade) à sua Coca-cola, lembro que minha mãe usava pra desentupir pia. Dizia que era imbatível.
Eu não gosto. Nada contra Tio Sam, nem contra coca, e uso muita cola por aí, mas o problema são as bolhinhas...odeio coisa que faz bolha, cerveja e vinho espumante inclusos. Acho que são arrotos do diabo.
No meu altar só vinho tinto. Cabernet Sauvignon. E minha estante é reforçada...
Beijos

Carlos Cruz disse...

Manda para a empresa, Klotz!

Usaram a música do Tom Jobim no comercial, lembra?

Por que não sua excelente crônica?

Escritor também gosta de ganhar uns tiricuticos.

Daí, com os bolsos cheios, você ao supermercado e compra um monte de coca-cola!

Nat disse...

Roberto, cheguei aqui por intermédio do meu amigo Adamastor, e queria lhe pedir, como cocacólatra assumida que sou, para publicar, com a autoria e link, claro, seu post no meu Blog www.by-nat.blogspot.com se você não tiver nada contra, claro.
Abs,
Nat

Klotz disse...

A Coca-cola não se dispôs a pagar o quanto meu texto merece - duas cocas pet diariamente enquanto eu viver. Isso, para mim, foi um atestado de qualidade do meu fortificante predileto.
Por favor, use do texto. Com pouco gelo.

Klotz disse...

Muito bom!!!!!!!!!!!!
Que a deusa Coca-Cola o ilumine.
Vera

(Recebi este comentário por e-mail.)

Anônimo disse...

Um casal de namorados decide transar de uma forma bem natural, ao ar livre. Um pic-nic.

Pegam o fusquinha e vão para uma praia bem afastada.

Estacionam e prosseguem a pé. Finalmente chegam à praia linda e deserta.

Ele, amoroso, estende a toalha e, como ventava muito, decide colocar uma garrafa de Coca-Cola em cada ponta para que a toalha não voasse.

Se sentam e se beijam ... Fazem juras de amor.

Depois do lanche, ele, cuidadoso, coloca a moça de quatro, venda os olhos dela, como planejado, mas, na hora H, não encontra a camisinha.

Então diz:- 'Amor, esqueci a camisinha. Vou correndo buscar no carro, me espere desse jeitinho'.
E sai correndo em busca da camisinha.

Em seguida, passa pelo local um bêbado e vê a cena.

Coça a cabeça e, mesmo sem acreditar no que vê, decide conferir.

Não resistindo, o bêbado transa com a garota, que não pára de gemer.

Depois que tudo termina, satisfeito, o bêbado olha para as garrafas em volta da toalha e diz:

- A COCA É FODA MESMO! ... DUVIDO QUE A PEPSI FAÇA UMA PROMOÇÃO DESSAS!

Amadeu Paes disse...

Klotz, você só esqueceu da garrafa Pet de Natal, a de 3,3 litros, pra cocacolatra nenhum botar defeito.

Sempre achei que há alguma "droga" neste liquido, enfim vc conseguiu resumir a nossa dependencia.

Há quem diga que o vermelho do papai noel, é fruto da vil Coke, mas não sei se a história e veridica.

Acho que Coca-cola uma coisa de aliens, não explicação esta dependencia.

Eu tmb escrevi algo a respeito.

http://amadeupaes.blogspot.com/2009/12/conspiracao-coca-cola.html

Um abç.

Klotz disse...

Seu nome, Amadeu, pode ser alterado em cartório por Amacoke.

Anônimo disse...

http://achatcialisgenerique.lo.gs/ cialis
http://commandercialisfer.lo.gs/ acheter cialis france
http://prezzocialisgenericoit.net/ cialis italia
http://preciocialisgenericoespana.net/ cialis

 
Search Engine Optimisation
Search Engine Optimisation